Tribulação que produz peso de Glória



"Em tudo somos atribulados, mas não angustiados; perplexos, mas não desanimados. Perseguidos, mas não desamparados; abatidos, mas não destruídos; Trazendo sempre por toda a parte a mortificação do Senhor Jesus no nosso corpo, para que a vida de Jesus se manifeste também nos nossos corpos." (II Co 4:8)

Nesse momento existem milhares de pessoas ao redor do mundo passando por sofrimentos e lutas inimagináveis. Muitas vezes não entendemos por que certas coisas acontecem, por quê temos que enfrentar certas tribulações. Muitas pessoas ficam perplexas ao ler o Livro de Jó, porque ele, sendo um homem temente ao Senhor, fiel, bom, justo, íntegro, teve que passar por uma grande luta. E realmente, muitas vezes ficamos sem entender o porquê de tantas coisas que acontecem na nossa vida. Mas ao ler a palavra de Deus podemos ter uma certeza, a de que muitas vezes ficamos aflitos, mas não somos destruídos; algumas vezes ficamos em dúvida, mas nunca ficamos desesperados; às vezes ficamos gravemente feridos, mas não somos destruídos (II Co 4:8). Passamos por sofrimentos sim, mas o Pai é quem nos sustenta, ainda que às vezes não venhamos a senti-lo por perto, Ele está lá, Ele é aquele que faz com que tudo coopere para o nosso bem (Rm 8:28). Fomos chamados por Deus, para carregar uma cruz e fazer parte de uma guerra, mas o nosso exército já é mais que vencedor, porque a batalha decisiva Ele já venceu por nós. Ainda que venhamos a ter que enfrentar adversidades, não estamos desamparados, nem sozinhos, nosso sofrimento leve e momentâneo não se compara ao peso de glória que em nós está sendo gerado. Quando o apóstolo Paulo escreveu o versículo 17 de II Co 4, ele estava sendo perseguido por causa da pregação do evangelho, podendo ser morto a qualquer instante, sofrendo por amor a obra de Deus. Mas ele afirmou que aquela "pequena" e passageira aflição estava produzindo uma glória enorme e eterna, muito maior do que aquelas lutas que ele estava enfrentando. O alvo de Paulo era alcançar aquilo que era eterno e invisível, nada poderia tirar o seu enfoque ("Não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que se não vêem; porque as que se vêem são temporais, e as que se não vêem são eternas. II Co 4:18). Deus permite que passemos por tribulações para que o nosso caráter venha a ser moldado por Ele. No tempo da luta, costumamos a ser mais sensíveis a voz de Deus, e ao permitir que o Espírito Santo nos ministre, ele vai nos mostrando aonde devemos mudar. Muitos precisam ser jogados numa cisterna, como José foi (Gn 37:20), para que Deus molde sua personalidade e caráter para assim, ser alguém segundo o Seu coração e cumprir o propósito pelo qual foi chamado. É na tribulação que nossa fé é forjada a "sair para fora", é provada, é fortificada. Rick-Warren, autor do livro "Uma vida com propósitos" costuma dizer: "Você nunca saberá que Deus é tudo o que você precisa, até que Ele seja tudo o que você tiver." É durante as tribulações que temos a chance de conhecer a Deus profundamente, de experimentarmos a intimidade do Senhor. No capítulo final de Jó, ele faz uma declaração belíssima, e é aí que finalmente podemos entender que o sofrimento dele não se comparou com aquilo que agora ele experimentava: "Antes eu Te conhecia só de ouvir falar, mas agora os meus olhos Te vêem" (Jó 42:5). E ele ainda fala: "Eu reconheço que para ti nada é impossível e que nenhum dos Teus planos pode ser impedido. Tu me perguntaste como me atrevi a pôr em dúvida a Tua sabedoria; falei de coisas que não compreendia, coisas que eram maravilhosas demais para mim e que eu não podia entender" Jó 42: 2,3). Só Deus sabe os propósitos que Ele tem ao permitir que tribulações venham de encontro as nossas vidas. Precisamos aprender a enxergar as coisas temporais à luz das eternas, para que não venhamos a desfalecer em meio as lutas. Não importa qual seja a tribulação que estejamos enfrentando, uma coisa é certa, somos mais que vencedores por aquele que nos amou ( Rm 8:37).

Abaixo deixo a letra de um poema que fiz baseado no livro de Jó. Que Deus abençoe a sua vida. No amor do Pai, PV.

"Cântico de Jó"

Eu Te procuro, não sei onde está
Olho para O leste
Procuro no Oeste
Também não O vejo quando age no Norte
Ou quando se esconde no Sul
Mas Tu conheces cada um dos meus passos
Conheces o meu caminho
Prova-me e serei como ouro

Para Ti nada é impossível
E nenhum dos Teus planos podem ser frustrados
Duvidei da Tua sabedoria
Falei de coisas que não conhecia
Coisas que eram maravilhosas demais para mim
Mas Tu me mandaste escutar Tua voz
E eu pude ouvir, pude Te sentir

Agora eu sei
Te conhecia só de ouvir falar
Mas hoje os meus olhos Te vêem
Hoje eu consigo Te tocar
Em Ti minha fé se tornou inabalável
Não importa qual seja a dor
Eu irei Te adorar meu Senhor.

Share this:

JOIN CONVERSATION

1 comentários:

  1. Glória a Deus Pri! Enquanto eu lia esse post o Senhor foi falando ao meu coração, reforçando conceitos que Ele tem repetido a mim ano após ano. Gratidão e humildade são sentimentos que só podem existir no coração daqueles que anseiam agradar ao Senhor, aqueles que entendem que nada tem a perder, pois já perderam tudo no batismo, Jesus se tornou O Dono. Lindo poema, enquanto eu o lia meu coração foi se enchendo de uma melodia nova, e eu me pus a repetir a última estrofe, dou graças a Deus pela unção que Ele colocou sobre ti, a qual tem me edificado de forma sobrenatural, exaltado e glorificado seja o Nome do Senhor! Que o Amado continue derramando mais e mais dEle sobre você Priscila, e que você persevere sendo esta mulher de Deus que tem sido. Bjão

    ResponderExcluir